terça-feira, 15 de novembro de 2016

Recordo na minha infância..., por Marília Dis Savtos

Recordo na minha infância, de ir lavar as roupas com a minha mãe, nas ribeiras ou albufeiras (estes espelhos de água puras e cristalinas, reflectiam as sombras ...das árvores).

Um grupo mulheres cantava, ao desafio, enquanto iam ensaboando roupa nas pedras, que metiam a corar, nos pastos do chão, para branquear.
 

Depois de lavados, os panos, eram por ali estendidos ao sol nos arbustos e árvores, pareciam, bandeiras hasteadas ao vento, davam um ambiente colorido ao campo...
 

Estas albufeiras, contrastam, com as zonas de grande secura (zona dos montados e olivais, parecem pequenos oásis), onde a vida parece florescer….
Lugares mágicos, que ficam nas bordas das ribeiras e albufeiras.


Quando era pequena gostava de brincar, nos campos com as outras crianças….
Ah, nestes tempos não havia perigos de nada, para as crianças, havia respeito entre os seres humanos.
Nem existiam medos de coisa alguma, Deus protegia os inocentes.
Também não existia poluição, nem nas águas nem nos lençóis freáticos, eram águas puras e cristalinas das fontes.
Que delicia poder saboreá-las!

Sabia-me, bem escutar o silêncio da noite nos campos do Alentejo.
Sentia paz interior.


Agora recordo tudo isto no palco das recordações da minha infância.
O Alentejo genuíno da imensidão das planícies….