segunda-feira, 21 de setembro de 2015

O que eram os "Furras" naquela guerra, por Duarte Pereira

Duarte Pereira
O SR DUARTE NÃO CONSEGUIU PUBLICAR NO "SEU" !!
PEDIU-NOS PARA PUBLICAR NA "NOSSA" !
.
COMO AS COMADRES ESTÃO COM MUITA SAÍDA, RESOLVI SER EU HOJE A ESCREVER.
 
" OS FURRAS"?
QUAL O PAPEL DOS "FURRAS"?
 
SEI QUE É ABORRECIDO ESCREVER S0BRE TEMAS DOS NOSSOS ANOS EM MOÇAMBIQUE.
 
OS "FURRAS"!!!.
TAMBÉM FUI UM.
E NA MINHA OPINIÃO TIVERAM UM PAPEL FULCRAL "NAQUELA ´COISA".
 
 
 
OS "ALFERO" CONDUZIAM AS OPERAÇÕES.
OS " FURRAS" ORGANIZAVAM O PELOTÃO .
 
À FRENTE, NAS OPERAÇÕES, NUNCA "ALFERO" OU "FURRAS" , MAS SIM OS BATEDORES OU GUIAS.
 
 
 
NAS OPERAÇÕES DO FERRAZ, SE ELE NÃO ERA O NÚMERO UM. NO MÁXIMO SERIA O NÚMERO TRÊS.
NUNCA FIZ ISSO PORQUE NÃO ERA "CURIOSO".
 
OS " FURRAS" NÃO ERAM SOLDADOS, NEM SARGENTOS NEM OFICIAIS
ERAM UMA "SEITA" QUE ANDAVA LÁ PELO MEIO PARA DESCULPAR ALGUNS INSUCESSOS.
OS OFICIAIS ESTARIAM SEMPRE PROTEGIDOS PELOS OFICIAIS.
OFICIAL IA DESDE "ALFERO" ATÉ GENERAL.
ERA UMA CLASSE QUE SABIA PROTEGER OS "SEUS".
 
QUEM PROTEGIA OS " FURRAS" E OS "FURRAS" GRADUADOS??
 
ERAS TU ??
 
DEDICO ESTE TEXTO AOS " FURRAS"
CADA UM QUE PROTEJA OS SEUS.
TIVE MUITO ORGULHO EM SER "FURRA".
 
Duarte Pereira 14/07/2014
 
Fernando Bernardes achei o maximo deste artigo lembro que na 08 tb era assim melhor o alfero andava no meio bem protegido com seus acólitos.
 

Duarte Pereira ACHO QUE IRÁ DAR POLÉMICA. E É ASSIM QUE EU GOSTO!!

 
Paulo Lopes Curiosamente nunca aprofundei quem é que fazia o quê ou quem era quem porque era um tempo de passagem pelo tempo e quanto mais o tempo corresse mais o tempo passava essa passagem!
E foi esse o pensamento que mais me alimentou a esperança!
Talvez por na Mataca as diferenças (que existiam como as existiam em todo o lado e bastava olhar para onde se instalavam uns e outros) não fossem tão profundas nesse aspecto do quem é que fazia o quê!
O repeito imperou sobre a prepotência das divisas e as situações resolviam-se sem necessidade do "chicote"!

O orgulho, reservo-o para outras importâncias do tempo que não esse tempo de passagem, má passagem que deixou lágrimas vermelhas em muitos que não sei se não superam o bom de ter conhecido alguma gente boa que a recordação (e alguns encontros) desse tempo nos ofereceu.
Uma factura muito alta para alguns.
Mas não desdenho e até aplaudo, os sentimentos que o Duarte Pereira traduz em palavras escritas.

Ele sabe que sim!
 

Luís Leote Se bem me lembro do que li, coisas publicadas pelo Duarte, mesmo graduado oficial, atuou como 'furra', não forreta!!!!
 

Velhas DE Estremoz Alentejanas OUVIMOS DIZER AO SR DUARTE QUE COM OS GALÕES. NÃO LHE INCHARAM OS ............. !!!! ADENÓIDES !!!
 

José Guedes NÃO SEI DECIFRAR MUITO BEM O QUE O DUARTE QUER DIZER NO QUE RESPEITA A OPERAÇÔES QUEM IA Á FRENTE OU ATRÁS,. EU COMO CONDUTOR E QUE PASSEI MAIS TEMPO NAS PICADAS QUE NO QUARTEL SEMPRE ME PUNHA NA COLUNA QUE FAZIA EM QUALQUER LUGAR E DEPOIS FÉ EM DEUS,.. QUE POR SINAL ESTEVE SEMPRE COMIGO,..
 

Velhas DE Estremoz Alentejanas SR JOSÉ GUEDES, SE TIVER DÚVIDAS PERGUNTE. NUMA COLUNA ELES PODERIAM MINAR OU IR TER CONNOSCO.
NUMA OPERAÇÃO NÓS ÍAMOS EM PRÍNCIPIO TER A CASA "DELES".
NINGUÉM GOSTA DE TER VISITAS NÃO ANUNCIADAS.
 

José Guedes ÑÃO PRECISO PERGUNTAR UMA COISA QUE EU SEI,.. MAS EU REFERI-ME QUE NA MINHA MISSÃO EMBORA ANDASSE MUITO POR FORA NÃO PRECISAVA DISSO, ME COLOCAVA ONDE CALHAVA,..