quinta-feira, 17 de abril de 2014

Mar calmo, por Paulo Lopes

 

 
 
E que belo som que é quando, na esplanada a beber uma café pela manhã e ouvir o lento rebentar das ondas que se enrolam na areia.
 
Praia das Chocas - Moçambique

O mar estava calmo como sempre, ou quase sempre, porque o sempre nem sempre é sempre, e entrava suavemente
pela areia normalmente fina da belíssima praia da Vila de Sesimbra e que, estranhamente, ou não, tem o nome de Califórnia.
 
Praia da Califórnia - Sesimbra
 
Da esplanada ouve-se o inconfundível ruído das suaves ondas a deslizar areia dentro areia fora, numa lentidão apaziguadora de males espirituais.
 
 
Não consigo ver fisicamente todo este encontro e desencontro entre o mar e o areal seco porque estou num nível um pouco mais elevado e recolhido desse espectáculo mas nem necessito de fechar as pálpebras para sentir o mar a entrar, deslizar e novamente ser empurrado pelo leve ondear para dentro da praia num vai e vem constante e melancólico, dando-me uma sensação de paz e bem-estar.

In "Minutos dos Dias de Muitas Vidas"
paulo lopes