quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

O senhor Professor Paulo Lopes, do tempo dos cartões perfurados...

 
 
Amigo Gilberto Pereira! ...
 
Já lá vão mais de 35 anos, quando eu trabalhava (pelo menos ia para lá todos os dias) na BMW, quando a informática veio ter comigo (estava eu muito descansadinho), ainda os "computas" eram a fita perfurada e um computador não cabia numa sala de alguns metros quadrados.
Chamavam-se "mainframes"!...
Tive de me desenrascar!...
Depois vieram as revoluções trazidas pela Apple, IBM, Microsoft e outras que foram surgindo com o seu, agora básico, MS-DOS.
Eu tive de acompanhar... pois que remédio!
Começaram então essas infernais máquinas a serem cada vez mais pequenas e mais fáceis de manejar pelo pessoal!...


Continuei a aprender até ao ponto de auxiliar um informático a sério "Analista de Programas", com o pouco que sabia, a fazer de raiz um programa oficinal, para um concessionário da Fiat (Auto-Dinis), o qual, mais tarde, ajudei a instalá-lo noutro concessionário mas em Vila Real (lá de cima).


Esfolei os miolos a pôr a malta a funcionar com aquela coisa!
A Malta que não sabia, tão pouco, o que era um teclado!
Cada vez mais me exigiam e muito trabalho me deu a idealizar, fazer e aperfeiçoar, mapas em excel (programa de folha de cálculo), com mapas de produção, vendas e stock's (isto já na Mitsubichi e na Mercedes).
Lá me fui desenrascando com outros (mais "altos" que eu, mas que não tocavam aquele instrumento) e a levar os louros para casa!...
Até que me fui embora dessas lides mas, com o bichinho enfiado no corpo, lá me "meteram" a ensinar (?) na Universidade Sénior, o básico da informática e aos mais adiantados, o word e o excel!
Não sei se aprenderam alguma coisa (duvido) mas deu-me prazer em ensinar o pouquíssimo que sabia a quem nada percebia da "poda"!...

Hoje, amigo Gilberto Pereira, digo para mim: "cada vez percebo menos desta m...."!