quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

A emboscada na picada Mueda - Mocimboa da Praia vista do ar..., por Fernando Bento



16 de Julho de 2013 23:29
Mais um episódio para a historia do nosso Batalhão, que vem na sequência da ajuda dos pilotos civis.
Não se alguém conheceu a ilha do IBO, ela faz parte do arquipélago das Quirimbas.
Em Maio de 1973, fiz parte de uma equipa que foi fazer inspeções militares a ex-elementos da "Frelimo" que aí se encontravam presos.
Dessa equipa fazia parte o capitão da 3509, o médico que na altura estava em Macomia, não recordo o nome, talvez os enfermeiros saibam, o alferes Mota e eu claro, que como escriturário (eu sapador), ia para ajudar os mancebos da Frelimo a preencher a papelada.
Uns tempos antes eu e o Mota tínhamos-nos deslocado a Nampula, no sentido de recebermos instruções para essa "missão".
Acabadas as inspeções que demoraram dia e meio, seguimos para a pista para o regresso a Macomia.
O avião só tinha três lugares vagos e azar, eu como menos graduado fiquei em terra o que foi uma "chatice", tive de esperar para o dia seguinte.
Fui para casa do administrador, almocei com ele e nessa tarde foi só praia.
No dia seguinte lá apanhei o avião, que era um avião que fazia a volta pelo Norte, depois do Ibo, aterrou no Quiterajo, a seguir Mocimboa da Praia.
Quando sobrevoávamos a picada de Mocímboa da Praia para Mueda, descortinamos um coluna militar que para aí se dirigia, a ser emboscada, perto de Diaca, o piloto ouvia os pedidos de ajuda da coluna, parece que a coisa estava feia, tinha rebentado uma mina e segundo parece havia feridos com alguma gravidade, então o nosso amigo piloto reforçou os pedidos de ajuda para Mueda.
Quando aterramos em Mueda já varias viaturas com pessoal seguiam para reforçar a coluna emboscada.
Depois de largar os passageiros seguimos então para Macomia, já só vinha eu e o piloto, durante esse trajeto não falamos de outra coisa que não fosse o que tínhamos acabado de assistir.
Ele que fazia aquela volta, assistia quase sempre a emboscadas naquela estrada.
Quanto a mim vê-la lá do alto era bem melhor.
Não sei se alguma vez comentei isto com alguém, estou agora a partilhar convosco.
Um abraço.