sexta-feira, 4 de julho de 2014

O Teatro com as Comadres, por Duarte Pereira


NÃO QUERENDO OBSCURECER OS TEMAS HOJE PUBLICADOS SOBRE A LIBERDADE, OS CRAVOS E OS "CRAVAS", GOSTARÍAMOS DE DEIXAR O NOSSO CONTRIBUTO.


APROXIMA-SE A DATA DO ALMOÇO DO BATALHÃO E PENSAMOS QUE SÓ É POSSÍVEL ATENDENDO À LIBERDADE DE REUNIÃO QUE HOJE SE VIVE.

ANTES DO 25 DE ABRIL DE 1974, A ORGANIZAÇÃO DO ALMOÇO TERIA DE PAGAR A MAIS SEIS PESSOAS PELO MENOS PARA OS VIGIAREM.


OUVIMOS FALAR EM "RIBAUÉ" E TAMBÉM MACOMIA, PELAS BELAS PEÇAS TEATRAIS QUE NA ALTURA FORAM APRESENTADAS....

FOI ENVIADO UM E-MAIL A ALGUNS DOS ATORES DA ALTURA QUE NÃO "MERECEU" RESPOSTA.
 
ESTE ANO SERIA QUASE IMPOSSÍVEL POR FALTA DE TEMPO E ORGANIZAÇÃO.
O TEATRO TERIA DE SER EM TERRAS ALENTEJANAS.
FOI PROPOSTO, AS COMADRES SE OFERECEREM PARA O ELENCO E FORAM FORMULADOS CONVITES A ESTRELAS DE PRIMEIRA ÁGUA QUE PASSAMOS A CITAR: AMÉRICO CONDEÇO, GILBERTO PEREIRA E JOÃO MARCELINO.
 
ENCENADOR: CAPITÃO PARDAL.
 
DEPOIS DE ALMOÇO AS COMADRES ENTRARIAM NO LOCAL E DARIAM UM BEIJINHO A TODOS OS CONVIDADOS.
A CIDÁLIA PIRES TRATARIA DAS ROUPAS E DAS PINTURAS.
 
 
GARANTO QUE SERIA UM ALMOÇO INESQUECÍVEL.
TALVEZ PARA O ANO.
NÓS JÁ ANDAMOS A LER O TEXTO, TIPO TELENOVELA.
VÃO PENSANDO NISSO.
 
BEIJINHOS DA MARIA E DE MIM QUE VOS ADORAM.
GERTRUDES.